Educação Sexual: “Uma espécie de faz de conta”

3

Zélia Anastácio, investigadora do CIEC, defendeu, em reportagem do jornal “Público”, um ciclo de investigação de três anos no domínio da educação sexual e a criação de um espaço próprio no currículo para a matéria, considerando que nas actuais condições ela “é uma espécie de faz de conta”. “A abordagem numa lógica de transversalidade, inerente a todas as disciplinas, resultou numa desresponsabilização”, conclui.

A peça jornalística foca-se no último desenho das metas curriculares, que este ano passam a ser obrigatórias, o MEC não incluiu os métodos contraceptivos e as Doenças Sexualmente Transmissíveis na lista dos temas prioritários de Ciências Naturais.  “Um erro”, consideram especialistas em Educação Sexual.

Relembre-se que a investigadora Zélia Anastácio é uma das principais investigadoras do tema no CIEC.

Poderá acedê-la na íntegra clicando aqui.

Deixar um comentário...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s