Doutoramento em Estudos da Criança, na especialidade de Educação Física e Saúde Infantil

30

Realizaram-se no dia 18 de junho de 2020, às 14h30, as Provas de Doutoramento em Estudos da Criança, na especialidade de Educação Física e Saúde Infantil, requeridas pelo Mestre Evandro Salvador Alves de Oliveira, tendo como orientador o Doutor António Camilo Teles Nascimento Cunha. O júri foi presidido pela Doutora Maria da Graça Ferreira Simões de Carvalho, tendo estado presentes os seguintes vogais: Doutora Maria Beatriz Ferreira Leite Oliveira Pereira, da Universidade do Minho; Doutor António Camilo Teles Nascimento Cunha, da Universidade do Minho; Doutora Ana Luísa Dias Quitério, da Universidade de Lisboa; Doutor Aníbal Rui de Carvalho Antunes das Neves, da Universidade de Aveiro; Doutora Maria Altina da Silva Ramos, da Universidade do Minho; Doutor Rui Manuel Neto e Matos, do Instituto Politécnico de Leiria. No final, o júri deliberou, por unanimidade, aprovar o candidato atribuindo-lhe a menção de “Muito Bom”.

Título da Tese:Infância, Media e Educação Física no contemporâneo: as influências dos heróis nas culturas lúdicas das crianças

Resumo da tese: Investigar o universo infantil é instigante, desafiador e emblemático. Conhecer e compreender fenómenos que ocorrem na vida das crianças com intuito de produzir conhecimento é a pretensão deste trabalho, que tem como objeto de estudo a criança na Educação Física Infantil e os heróis dos media que influenciam suas culturas lúdicas. A investigação ocorreu com uma turma de crianças entre 4 e 5 anos de uma escola pública municipal do Estado de Goiás, Brasil. Como investigações científicas partem de um problema, que surge da sociedade e a ela pretende voltar (com possíveis respostas), nesta tese o problema partiu da seguinte lacuna: os heróis que circulam nos medias influenciam a cultura motora – práticas da Educação Física – das crianças de 4 e 5 anos da Educação Infantil? Vários são os objetivos da pesquisa, mas o principal consistiu conhecer as expressões motoras das crianças que acontecem na Pré-escola, a partir das interações que estabelecem com os heróis dos media, e verificar se/como tal fenómeno aparece nas aulas de Educação Física. É através das interações estabelecidas entre crianças, heróis e conteúdos da cultura mediática que realidades objetivas e subjetivas foram captadas, a fim de serem transformadas em conhecimento. Para tanto, o trabalho recorreu ao valor da ciência e das possibilidades de análises que a corrente fenomenológica permite construir, com a intenção de aprofundar e conhecer fenómenos que merecem ser “escavados” e mostrados como “coisas mesmas”. A tese é fruto de uma investigação qualitativa, inspirada na etnografia e na imersão no cotidiano das crianças através de observações participantes, oficinas/workshops lúdicos e construção de um diário de bordo – que permitiram interpretar os dados sob duas vertentes: por um lado, a partir da análise de conteúdo, e, por outro lado, pela análise do discurso. Convocamos, assim, a opção observacional (racional), fenomenológica e hermenêutica, que estabeleceu a nossa matriz epistemológica. Consideramos, desse modo, a objetividade, a subjetividade e a interpretação da criança, permitindo uma real aproximação com aquilo que é vivenciado e interpretado em contextos (circunstâncias) distintos e momentâneos. A construção teórica da tese contou com exemplares que compõem parte do acervo bibliográfico situado no campo das Ciências Humanas, especialmente dos estudos da infância. As conclusões apontam que quando as crianças brincam e compõem as suas culturas lúdicas, trazem a palavra do outro (dos heróis) para a cadeia da comunicação verbal, e também para as suas práxis, que constroem nas suas relações discursivas suscitadas nos contextos em que vivem. Foi possível compreender que os heróis não estão apenas na televisão, eles estão “vivos” nas produções objetivas/subjetivas das crianças. As interações entre crianças e personagens dos media, principalmente pelo viés da televisão, são capazes de provocar um bombardeio de novas experiências lúdicas, de reproduções motoras cujas referências passam a fazer parte do repertório psicomotor que a criança começa a construir desde muito pequena. Defende-se a tese de que há uma nova cultura na escola (híbrida), a cultura dos media na contemporaneidade, esta que, como outras culturas, sofre transformações de acordo com aspetos relacionados ao homem, aos objetos, aos factos e, sobretudo, à temporalidade. Os media estão na escola, assim como em outros espaços sociais. Se num primeiro momento eles foram olhados como instrumentos de apoio didáticos e pedagógicos, começam agora a ser olhados (o desejo) como locus de aprendizagem, conhecimento e sabedoria.

Palavras-chave: Crianças, Identidades motoras, Media, Movimento, Novas culturas.

Advertisement

Deixar um comentário...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s