Doutoramento em Ciências da Educação, especialidade de Tecnologia Educativa

53

Realizaram-se no dia 9 de abril, às 14h, as Provas de Doutoramento em Ciências da Educação, especialidade de Tecnologia Educativa, requeridas pela Mestre Célia Rosa Ribeiro, tendo como orientador a investigadora do CIEC Clara Maria Gil Ferreira Fernandes Pereira Coutinho. O júri foi presidido pelo Doutor Bento Duarte da Silva, tendo estado presentes os seguintes vogais: o Doutor António José Meneses Osório, da Universidade do Minho; a Doutora Elsa Maria dos Santos Fernandes, da Universidade da Madeira; a Doutora Clara Maria Gil Ferreira Fernandes Pereira Coutinho, da Universidade do Minho; a Doutora Maria João Silva Ferreira Gomes, da Universidade do Minho e a Doutora Maribel dos Santos Miranda Pinto, do Instituto Politécnico de Viseu. No final, o júri deliberou, por unanimidade, aprovar a candidata, atribuindo-lhe a menção de “Muito Bom”.

Título da Tese: “Um Contributo para a Integração de Atividades de Robótica Educativa no Ensino Básico”

54Resumo: A Robótica Educativa (RE) constitui uma ferramenta pedagógica em ascensão no panorama educativo, com inúmeras potencialidades, mas cuja validação, tal  como acontece com outras tecnologias, ainda se encontra em estádio prematuro. Neste trabalho, pretendemos desenvolver uma proposta pedagógica utilizando a RE – mais concretamente o kit Lego Mindstorms – como uma ferramenta didática, no contexto do Ensino Básico 1º ciclo. Os principais objetivos passaram pela validação da RE neste nível etário, bem como pela avaliação das competências e conteúdos curriculares que a RE permite trabalhar neste contexto. O estudo foi organizado em duas grandes fases tendo incluído uma etapa de aprendizagem dos conceitos de Robótica por parte dos alunos participantes (15 alunos do 4º ano de escolaridade) e, numa fase posterior, a exploração de situações problemáticas com o robô, sendo trabalhadas competências ao nível da Matemática, com ênfase nas operações de multiplicação e divisão. Em termos metodológicos, o estudo realizado foi de índole qualitativa, inserindo-­‐ se num paradigma interpretativo da investigação educativa, tendo sido usados como instrumentos de recolha de dados a observação direta, os registos em vídeo, questionários, diários de bordo dos alunos, relatórios de reflexão e, ainda, os documentos produzidos pelos alunos na programação dos robôs. Estes foram usados para aferir da evolução dos participantes ao longo do projeto e das suas atitudes e perceções. Foram analisadas as competências específicas e transversais, bem abordada a relação destas com as filosofias construtivista e construcionista do processo de ensino-­‐aprendizagem. Neste trabalho, os alunos foram desafiados a explorar um robô, construindo-­‐o e programando-­‐o,  a  trabalhar  em  equipa  e  de  forma  cooperativa,  a  projetar  e testar os seus protótipos, a resolver os problemas com que se depararam, a elaborar as suas próprias estratégias e métodos para uma melhor exploração dos materiais e desafios apresentados, construindo os seus próprios conhecimentos sobre os conceitos trabalhados.

Anúncios

Deixar um comentário...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s