Doutoramento em Estudos da Criança, especialidade de Psicologia do Desenvolvimento e Educação

40Realizaram-se em 4 de dezembro de 2017, às 10h, as Provas de Doutoramento em Estudos da Criança, na especialidade de Psicologia do Desenvolvimento e Educação requeridas pela Mestre Inês Patrícia Rodrigues Ferraz, tendo como orientadora a investigadora do CIEC Fernanda Leopoldina Parente Viana. O júri foi presidido pela Doutora Isabel Flávia Gonçalves Fernandes Ferreira Vieira, tendo estado presentes os seguintes vogais: Doutora Fernanda Leopoldina Parente Viana, da Universidade do Minho; Doutora Teresa Maria Pinto da Cruz Barreiros Leal, da Universidade do Porto; Doutora Otília da Encarnação Costa e Sousa, da Escola Superior de Educação de Lisboa. Justificou a sua ausência a Doutora Ana Maria Tomás de Almeida, da Universidade do Minho. No final, o júri deliberou, por unanimidade, aprovar a candidata atribuindo-lho a menção de “Muito Bom”.

Título da Tese: “Contributo das Operações Lógicas para a Aprendizagem da Leitura”

41

Resumo: A consciência fonológica e o conhecimento das letras têm sido considerados os preditores mais potentes da aprendizagem da leitura em línguas de escrita alfabética e, por isso, a educação pré-escolar tem concedido grande atenção à promoção destas competências. Contudo, tal não parece suficiente para reduzir o número de crianças que apresentam dificuldades em aprender a ler. Partindo do pressuposto que a leitura é uma atividade essencialmente cognitiva e linguística, retomaram-se os pressupostos de Piaget, nomeadamente, o papel das operações lógicas, no sentido de analisar o seu contributo relativo para a aprendizagem da leitura. Assim, o principal objetivo deste trabalho foi identificar o contributo relativo e independente de três preditores – operações lógicas piagetianas (seriação, classificação e inclusão de classes), consciência fonológica e conhecimento das letras – para a aprendizagem da leitura (na vertente de descodificação ou identificação de palavras escritas e na vertente de compreensão ou extração do sentido do texto) nos primeiros anos de escolaridade. Analisou-se, ainda, o efeito de variáveis sociodemográficas, como a idade (mais velhos – nascidas entre 1 de janeiro e 30 de junho – e mais novos – nascidos entre 1 de julho e 31 de dezembro), o género e as habilitações académicas dos pais nas variáveis em estudo. Foi efetuado um estudo longitudinal, do pré-escolar ao 2.º ano de escolaridade, entre os anos letivos 2013/14 e 2015/16, com uma amostra de 94 crianças, com idades compreendidas entre os 5 e os 9 anos, da cidade do Funchal (Região Autónoma da Madeira). No ano pré-escolar, aplicou-se a PACF – Prova de Avaliação da Consciência Fonológica (Pocinho, Ferraz & Fernandes, no prelo), a PCL – Prova de Conhecimento das Letras e as Provas Piagetianas de seriação, classificação e inclusão de classes (Piaget & Szeminska,1941; Piaget & Inhelder, 1959, 1966, 1969b); no 1.º ano a PRP – Prova de Reconhecimento de Palavras (Viana & Ribeiro, 2010), o TLP – Teste de Leitura de Palavras (Ribeiro, Viana, Santos, Cadime, Chaves-Sousa, Vale, & Spinillo, 2014) e o REI – Teste de Avaliação da Fluência e Precisão da Leitura «O Rei» (Carvalho, 2010); e no 2.º ano a PRP, o teste ACL – Avaliação da Compreensão Leitora (Català, Català, Molina & Monclús, 2001) e o REI. No ano pré-escolar as crianças mais velhas (nascidas entre 1 de janeiro e 30 de junho) apresentam melhores resultados nas Provas Piagetianas de seriação e classificação em comparação com os mais novos (nascidos entre 1 de julho e 31 de dezembro). Os pais com habilitações académicas mais elevadas têm filhos com resultados mais elevados, tanto no conhecimento das letras como na prova piagetiana de classificação. No 1.º ano de escolaridade, a consciência fonológica e o conhecimento das letras influenciam todas as provas de leitura aplicadas (reconhecimento de palavras e fluência). A operação lógica de seriação mostrou ser um bom preditor do reconhecimento de palavras. No 2.º ano de escolaridade, a consciência fonológica e o conhecimento das letras foram preditores da identificação de palavras (avaliada através da PRP e do REI). Na compreensão da leitura as operações piagetianas de seriação e classificação são os seus melhores preditores.

Anúncios

Deixar um comentário...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s