Doutoramento em Estudos da Criança, Psicologia do Desenvolvimento e Educação

 

Realizaram-se  no 04 de julho de 2017, às 14h, as Provas de Doutoramento em Estudos da Criança, na especialidade de Psicologia do Desenvolvimento e Educação requeridas pela Licenciada Ângela Sofia Martins Meira, tendo como orientadoras as investigadoras do CIEC Fernanda Leopoldina Patente Viana e Irene Maria Dias Cadime. O júri foi presidido pelo Doutor Bento Duarte da Silva, tendo estado presentes os seguintes vogais: Doutora Fernanda Leopoldina Parente Viana, da Universidade do Minho;  Doutora Anabela Cruz dos Santos, da Universidade do Minho; Doutora Marisa Lobo Lousada; Doutora Ana Sucena Santos, Professora Instituto Politécnico do Porto;  Doutora Dalva Maria Alves Godoy, Universidade do Estado de Santa Catarina, Brasil. No final, o júri deliberou, por unanimidade, aprovar a candidata atribuindo-lho, por maioria, a menção de “Muito Bom”.

Título da Tese: “Consciência Fonológica. Do constructo à avaliação”

Resumo: Problemas ao nível da consciência fonológica são apontados como preditores de dificuldades de aprendizagem da leitura e da escrita em línguas de escrita alfabética. Em Portugal assiste-se a um crescente interesse relativamente ao contributo da consciência fonológica para a aprendizagem da leitura, mas registam-se ainda dificuldades na sua avaliação, dado não existir ainda, no nosso país, uma prova suficientemente abrangente em relação a níveis, dimensões (e tarefas) desta importante competência. Nesse sentido, foi desenvolvida a PACOF – Prova de Avaliação de Consciência Fonológica, destinada a crianças de idades compreendidas entre os 5 e os 6 anos, cujo racional teórico e processo de construção constituirão o núcleo central desta tese. A PACOF é uma prova informatizada e que, através de aplicação especialmente desenvolvida, gera, automaticamente, uma folha de resultados. A PACOF inclui 141 itens distribuídos por 7 tipos de tarefas (síntese, segmentação, identificação, associação, nomeação, reconhecimento e localização) e por três subescalas – consciência silábica, intrassilábica e fonémica. Em linhas gerais o processo de construção da prova dividiu-se em seis etapas: i) definir o objetivo; ii) determinar a população-alvo; iii) estabelecer o formato de apresentação; iv) decidir a estrutura da prova – dimensões, tarefas, nível de consciência fonológica, nível de representação –, v) definir a natureza dos estímulos – tipo, frequência, forma, formato, imageabilidade –, e vi) construir o banco de itens. Relativamente à última etapa, na construção do banco de itens foram tidas em conta as propriedades acústicas, a estrutura silábica, a localização do segmento-alvo, a extensão da palavra e a complexidade articulatória. Após as seis etapas anteriores, o banco de itens inicial integrou 1597 itens distribuídos por três subescalas – Silábica, Intrassilábica e Fonémica. Dos 1597 itens apenas 243 integraram a versão piloto. Os critérios teóricos previamente definidos foram preservados. Os procedimentos de construção e de validação da prova foram concretizados em quatro estudos. No primeiro estudo aplicou-se a PACOF a uma amostra de 52 crianças a frequentar educação pré-escolar, com o objetivo de se verificar a usabilidade, a adequabilidade e a adequação do material de teste. Após os ajustes necessários foi efetuado o segundo estudo, utilizando uma amostra de 256 crianças distribuídas nacionalmente – Continente e Regiões Autónomas – e de acordo com os Censos de 2011. Este estudo teve como objetivo a construção e validação da versão final da PACOF, através de análises da Teoria de Resposta ao Item (TRI). Este estudo conduziu à eliminação de itens com problemas psicométricos e à eliminação de itens redundantes, tendo sido selecionada a pool de itens a integrar a versão final da PACOF. No terceiro estudo procedeu-se à análise de evidência de validade da versão final da PACOF. Este estudo dividiu-se em três subestudos. Num primeiro subestudo (estudo 3.1) procuraram-se evidências de validade por referência à estrutura interna/dimensionalidade. Os resultados permitiram perceber que a estrutura interna da PACOF pode ser explicada por uma estrutura multifatorial constituída por três dimensões fortemente correlacionadas – Silábica, Intrassilábica e Fonémica –. Num segundo subestudo (estudo 3.2) recolheu-se evidência de validade preditiva através de um estudo longitudinal. Neste subestudo verificou-se que as pontuações no total da prova e em cada uma das três subescalas predizem o desempenho em leitura e em escrita, avaliado pelos professores titulares de turma, no final do 1º ano de escolaridade. Num terceiro subestudo (estudo 3.3) recolheu-se evidência de validade concorrente, comparando os resultados na PACOF com os de outra prova de avaliação da consciência fonológica. Os resultados indicaram correlações significativas entre os resultados obtidos nas duas provas, fornecendo evidência de validade concorrente para a as pontuações obtidas na PACOF. No quarto estudo testou-se a fidelidade das pontuações da PACOF através do método teste-reteste. Os resultados indicaram que as pontuações obtidas na PACOF apresentam uma boa estabilidade temporal. Por fim, discutem-se alguns aspetos relacionados com o constructo e as opções na construção da PACOF à luz do estado da arte atual. Apresentam-se ainda algumas considerações sobre a relevância social e científica deste trabalho, apontando igualmente algumas limitações e diretrizes para estudos futuros, baseadas nos resultados da presente investigação.

 

 

Anúncios

Deixar um comentário...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s