Doutoramento em Estudos da Criança, na especialidade de Educação Física, Lazer e Recreação

62

Realizaram-se hoje, dia 28 de setembro de 2016, às 10h30, as Provas de Doutoramento em Estudos da Criança, na especialidade de Educação Física, Lazer e Recreação, requeridas pela Mestre Marcela Almeida Zequinão, tendo como orientador a investigadora do CIEC Maria Beatriz Ferreira Leite de Oliveira Pereira.

O júri foi presidido pelo Doutor Bento Duarte da Silva, tendo estado presentes os seguintes vogais: a Doutora Maria Beatriz Ferreira Leite de Oliveira Pereira, da Universidade do Minho; o Doutor António Camilo Teles Nascimento Cunha, da Universidade do Minho; a Doutora Eduarda Maria Rocha Teles de Castro Coelho, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro; o Doutor Vitor Pires Lopes, do Instituto Politécnico de Bragança; e a Doutora Ana Isabel Martins Sani, da Universidade Fernando Pessoa. No final, a candidata foi aprovada, por unanimidade, com a menção de “Muito Bom”.

Título da Tese: “Perfil dos participantes de bullying escolar no Brasil, Portugal e Austrália: um estudo transcultural

61Resumo: A literatura vem apontando diversas variáveis que caracterizam os perfis dos participantes de bullying, dentre as quais se destacam: sexo, idade, desempenho motor, desempenho escolar, status social, estado nutricional e insatisfação corporal. Com o intuito de verificar se essas características estão presentes nos perfis dos envolvidos no bullying em diferentes culturas, este estudo teve como objetivo analisar e comparar os possíveis papéis de participação no bullying escolar em crianças e adolescentes de três países distintos (Brasil, Portugal e Austrália) e de diferentes contextos. Participaram 950 crianças e adolescentes do 3º ao 6º ano, do Brasil, Portugal e Austrália. Os instrumentos utilizados foram: Questionário de Olweus, Peer and Relations Questionnaire e Escala Sócio Métrica; KTK; média final de quatro disciplinas escolares; Escala Subjetiva de Status Social em Sala de Aula; massa corporal e estatura; e Escala da Silhueta Corporal. Como resultados, no Estudo I, verificou-se que a maior ocorrência de agressões sofridas foi do tipo verbal nos três países participantes, e que não foram encontradas associações entre ser vítima de bullying e o país de origem, rede de ensino e sexo. No Estudo II, verificou-se que tanto em Portugal, quanto no Brasil, o local mais citado onde ocorreram as agressões foi no recreio. Quando analisados os papéis de envolvimento no bullying de todos os participantes, encontrou-se associação entre ficar só e ser vítima-agressora. No Estudo III, foi possível observar uma associação entre desempenho motor e bullying escolar, sendo que as vítimas foram aquelas com maiores chances de ter um desempenho motor abaixo da média. No Estudo IV, verificou-se que em relação ao desempenho escolar e os papéis de participação no bullying, apenas em Portugal as vítimas apresentaram melhor desempenho escolar em relação aos agressores e vítimas agressoras em todas as disciplinas. No Estudo V, destacou-se que em Portugal, as vítimas foram consideradas populares e também rejeitadas. Já no Brasil, popularidade esteve associada apenas aos agressores. No Estudo VI, os resultados indicaram que os participantes de Portugal e do Brasil não diferiram em relação a insatisfação corporal. Ademais, maior insatisfação corporal pela magreza foi associada ao papel de vítima-agressora no bullying escolar. Por fim, no Estudo VII, a única característica que se mostrou padrão em ambos os países foi a rejeição das vítimas agressoras. Entretanto, rejeição também esteve associada as vítimas em Portugal, e popularidade foi associada aos agressores e as vítimas-agressoras no Brasil. Em Portugal também se verificou que as vítimas apresentaram melhor desempenho escolar e os meninos tiverem menos chances de serem vitimizados. Já no Brasil as vítimas-agressoras também foram aquelas que apresentaram desempenho motor inferior ao esperado para sua idade. Conclui-se que algumas características dos participantes deste fenômeno tendem a variar de acordo com o contexto social e cultural de cada país, influenciando na determinação das normas sociais estabelecidas pelos pares nas escolas. Desta forma, recomenda-se que mais estudos transculturais sejam realizados analisando as relações entre bullying e as variáveis citadas na literatura em crianças e adolescentes. Com isso, será possível verificar então, se os resultados encontrados são específicos deste grupo estudado ou se refletem o perfil dos envolvidos no bullying destes países.

Deixar um comentário...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s