Doutoramento em Estudos da Criança, Especialidade de Sociologia da Infância

32

Realizaram-se no dia 16 de fevereiro, às 11h, as Provas de Doutoramento em Estudos da Criança, Especialidade de Sociologia da Infância, requeridas pela Mestre Sandra Marlene Mendes Barra, tendo como orientador o investigador do CIEC Manuel José Jacinto Sarmento Pereira. O júri foi presidido pela Doutora Laurinda Sousa Ferreira Leite, tendo estado presentes os seguintes vogais: o Doutor João da Silva Amado, da Universidade de Coimbra; o Doutor Manuel José Jacinto Sarmento Pereira, da Universidade do Minho; a Doutora Maria Manuela Martinho Ferreira, da Universidade do Porto; o Doutor Luís Manuel Jesus Cunha, da Universidade do Minho; a Doutora Maria Emília Pinto Vilarinho Rodrigues Barros Zão, da Universidade do Minho. No final, a candidata foi aprovada, por unanimidade, com a menção de “Muito Bom”.

Título da Tese: “A Infância na Latitude Zero: As brincadeiras da criança ‘global’ africana”

31Resumo: Através da observação e análise das práticas e dos significados relacionados com a brincadeira e o brinquedo nos contextos de vida das crianças de São Tomé e Príncipe procurou-se esclarecer como e se as culturas destas crianças na sua génese e estrutura estão imbricadas no contexto mais amplo de uma globalização em curso. Este estudo perscruta um dos mundos sociais e culturais da Infância e revela-o na voz das próprias crianças permitindo outros entendimentos sobre as vidas das crianças que nasceram em África e sobre o quotidiano lúdico das crianças africanas, indo muito além da estereotipia de crianças órfãs, vítimas e vulneráveis, normalmente cunhada pelos estudos e estatísticas encomendados ao ocidente, ao acrescentar uma visão possível sobre os mundos das Infâncias que parte daqueles que habitualmente, historicamente, não têm tido voz na sua alteridade geracional, geográfica e cultural: especialmente as crianças africanas. Num diálogo fundamental entre os estudos da infância e os estudos pós coloniais, este estudo revelou-se importante pela audição das vozes das crianças marginalizadas pelo adultocentrismo nos estudos da infância e invisibilizadas pelo etnocentrismo das ciências sociais, contribuindo, em suma, para a desconstrução da norma de infância ocidental quando nos permitimos descobrir pelas vozes das crianças outras formas de ver o mundo e constatar que há diferentes formas de ser criança no mundo. Escolhendo como porta de entrada para o universo infantil a análise das práticas e significados relacionados com a brincadeira e os brinquedos utilizados, as culturas da infância são reveladas na ação concreta das crianças no tecido social, que (re)produzem práticas e representações específicas no contexto comunicacional das relações sociais inter e intrageracionais. A pesquisa, enquadrada numa abordagem ou construção etnográfica no âmbito do paradigma interpretativo compreensivo, permitiu que fossem reconstruídos os processos e as relações que configuram a experiência quotidiana da brincadeira e do uso dos brinquedos pelas crianças, aqui espelhadas com o suporte das metodologias visuais. Conclui-se que as crianças santomenses têm em mãos desafiar o ser criança na sua sociedade acrescido do desafio da norma de infância imposta pelos adultos ocidentais e pelas suas instituições hegemónicas, as quais na maior parte das vezes não têm em conta a especificidade das suas rotinas, dos seus tempos e espaços e das suas formas de interação com outras gerações, ou numa palavra: as suas culturas infantis.

Deixar um comentário...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s