“Brincar continua a ser a forma mais própria de as crianças viverem”

95O site Educare.pt fez notícia do último encontro promovido pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Guimarães ajudou para sinalizar alguns riscos do sistema educativo, frisando a intervenção da investigadora do CIEC Teresa Sarmento: “Brincar continua a ser a forma mais própria de as crianças viverem”. Por isso, pensar o seu futuro passa por perceber o erro de se lhes tirar a brincadeira “na tentativa de escolarizar a infância”. “É preciso viver com as crianças e deixá-las ser elas mesmas, na idade em que estão (…) Assisto a uma constante parcialização do tempo, que se quebra para partir para outras atividades.” Sobre como deve ser a boa prática nestas instituições, a docente aconselha esta reflexão: “A criança faz escolhas ou obedece ao que já está estipulado pelos adultos?”

Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Deixar um comentário...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s