Doutoramento em Estudos da Criança, especialidade de Sociologia da Infância

70 Realizaram-se no dia 20 de novembro às 9h30 as Provas de Doutoramento em Estudos da Criança, especialidade de Sociologia da Infância, requeridas pela Mestre Maria Emília Santiago Barreto, tendo como orientador o Doutor Manuel José Jacinto Sarmento Pereira. O júri foi presidido pelo Doutor Licínio Carlos Viana Silva Lima, tendo estado presentes os seguintes vogais: Doutor Manuel José Jacinto Sarmento Pereira, da Universidade do Minho; Doutora Maria Manuela Martinho Ferreira, da Universidade do Porto; Doutora Natália Fernandes, da Universidade do Minho; Doutora Maria Cristina Cristo Parente, da Universidade do Minho; Doutor Alberto Nídio Barbosa Araújo e Silva, da Universidade do Minho; e a Doutora Vânia Carvalho de Araújo, da Universidade Federal do Espírito Santo. No final, a candidata foi aprovada por unanimidade.

 

Título da Tese: “Brincadeira de Faz de Conta de Crianças em uma Turma de Educação Infantil – Um Estudo Etnográfico em Sociologia da Infância” 71

Resumo: A investigação Brincadeiras de Faz de Conta de Crianças em uma Turma de Educação Infantil: um Estudo Etnográfico em Sociologia da Infância focaliza aspetos referentes à cultura lúdica, tendo como pressuposto as crianças como contribuintes ativos para o complexo processo de continuidade cultural e mudança dentro do grupo de pares, e na sociedade em geral. O objetivo da investigação é compreender como as crianças, nas suas relações entre pares e nos espaços-tempos do brincar definidos pelo contexto da instituição de educação infantil, constituem suas culturas da infância. A investigação busca revelar os principais elementos definidores  das culturas de infância, no espaço do brincar e nas relações entre as crianças nele situadas, e identificar a rotina das crianças em uma turma de educação infantil. A metodologia utilizada foi a etnografia, incorporando a observação participante e instrumentos metodológicos visuais (câmera de vídeo e máquina fotográfica), tendo como foco uma turma de 22 crianças de 3 e 4 anos de idade, em uma unidade municipal de educação infantil de Seropédica – Rio de Janeiro. Este estudo confirma que as crianças, nas suas relações entre pares, constituem suas próprias culturas da infância nas quais manifestam suas competências sociais, onde o brincar ocupa um espaço fundamental na constituição dessas culturas e no exercício da participação social. Revela a socialização das crianças no contexto da pré-escola, em suas brincadeiras de faz de conta, nas relações entre pares e nas suas produções gráficas, ao produzirem suas culturas da infância. As rotinas e a organização do espaço-tempo mostram a necessidade de a escola dar maior autonomia às crianças para desenvolverem as atividades de modo geral e as representações gráficas, em particular, e proporcionar momentos diários para essas produções. Os resultados mostram também que é preciso que os educadores contextualizem o processo educativo, partindo da realidade de vida das crianças e valorizando os conhecimentos que elas já possuem ao chegar à pré-escola. É preciso, também, encontrar caminhos nos espaços-tempos da pré-escola que favoreçam a construção da autonomia, para que as crianças possam se expressar por meio de suas várias linguagens e possam ter suas vozes ouvidas.

Advertisements

Deixar um comentário...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s