Doutoramento em Estudos da Criança, especialidade de Formação de Professores

Realizaram-se no último dia 10 de fevereiro às 14:30 horas, as Provas de Doutoramento em Estudos da Criança, especialidade de Formação de Professores, requeridas pela Mestre Elza da Conceição Mesquita, tendo como orientador o  Doutor João Manuel Formosinho Sanches Simões. O júri foi presidido pelo Doutor Carlos Alberto Vilar Estêvão tendo estado presentes os seguintes vogais João Manuel Formosinho Sanches Simões, da Universidade do Minho; Doutor Fernando Ilídio Silva Ferreira, da Universidade do Minho; Doutora Maria Manuela Franco Esteves, da Universidade de Lisboa;  Doutor Carlos Alberto Gomes, da Universidade do Minho; Doutor Joaquim Machado de Araújo, da Universidade Católica Portuguesa; Doutor Jorge Manuel Bento Pinto, do Instituto Politécnico de Setúbal; e o Doutor Henrique da Costa Ferreira, do Instituto Politécnico de Bragança. No final, a candidata foi aprovada por unanimidade.

 Título da Tese: ““Formação de Professores e Docência Integrada: um Estudo de Caso no âmbito dos Programas Nacionais de Formação Contínua”. 

Resumo: O objeto de estudo da presente dissertação de doutoramento refere-se à prática de ensino integrado e às relações que se estabelecem entre sujeitos, nomeadamente, professores no exercício da profissão (mas com uma colocação administrativa) e formadores e coordenadores dos Programas de Formação Contínua, uma vez que se procura compreender o significado do trabalho docente e da formação numa perspetiva de ensino integrado e cooperado. A questão de partida foi: em que medida os Programas Nacionais de Formação Contínua promovem a colaboração entre professores do 1.o Ciclo do Ensino Básico e a prática de um ensino integrado? Perante este problema, outras questões se afiguraram pertinentes para a orientação, conjugação e análise dos dados recolhidos através de entrevista e que nos coadjuvaram no processo de categorização dos mesmos. Detetado o problema e as questões que lhe estão associadas, o estudo, norteou-se pelos seguintes objetivos: (i) Identificar práticas pedagógicas adotadas pelos professores do 10 ciclo do Ensino Básico; (ii) Identificar dissonâncias, consonâncias e ressonâncias da pedagogia transmissiva e da pedagogia da participação e os seus impactos nas práticas pedagógicas integradas; (iii) Reconhecer os significados da formação e os seus contributos para a mudança das práticas e para a (re)criação de uma cultura de colaboração; e (iv) Compreender como é que as experiências práticas, individuais e em grupo, são interpretadas pelos formadores e pelos professores que optam por formações de carácter disciplinar e integrantes de programas nacionais. Optando por uma metodologia de carácter qualitativo e uma estratégia de pesquisa suportada no Estudo de Caso, realizamos entrevistas semi-estruturadas, posteriormente sujeitas a uma análise de conteúdo. No processo de análise emergiram aspetos que consideramos relevantes no âmbito deste estudo e que nos ajudaram a perceber a praxis dos docentes colaboradores. Os resultados emergentes do discurso dos colaboradores entrevistados apontam para uma parca formação (inicial e contínua) relativamente à prática de um ensino integrado e participado, salientando que a compartimentação disciplinar é fator constrangedor. Apesar da retórica da necessidade de redefinição no trabalho do professor, nomeadamente na autorreflexão das práticas, na partilha dessas práticas com os seus pares e no desenvolvimento profissional ao longo da vida, o trabalho de cooperação incide sobretudo na partilha a dois. A análise dos discursos também atesta a hipótese das práticas pedagógicas tenderem mais para uma pedagogia transmissiva do que para uma pedagogia da participação.