Doutoramento em Estudos da Criança, especialidade de Metodologia e Supervisão em Educação de Infância

Realizaram-se  no último dia 27 de fevereiro às 14:30 horas, as Provas de Doutoramento em Estudos da Criança, especialidade de Metodologia e Supervisão em Educação de Infância, requeridas pela Mestre Maria da Graça Santos Bandola Cardoso, tendo como orientadora a  Doutora Júlia Fátima Domingues Bastos Oliveira-Formosinho. O júri foi presidido pelo Doutor Leandro da Silva Almeida tendo estado presentes os seguintes vogais: Doutora Júlia Fátima Domingues Bastos Oliveira-Formosinho, da Universidade do Minho; Doutora Marlene da Rocha Migueis, da Universidade de Aveiro; Doutora Maria Cristina Cristo Parente, da Universidade do Minho; Doutora Maria de Fátima Cerqueira Martins Vieira, da Universidade do Minho; Doutora Maria Isabel Ramos Lopes da Silva, da Universidade Católica Portuguesa. No final, a candidata foi aprovada por unanimidade.

 Título da Tese: “Criando contextos de qualidade em creche: ludicidade e aprendizagem”. 

Resumo: As condições em que ocorre o desenvolvimento na primeira infância têm impacto duradouro no futuro da criança, ao nível psíquico, emocional, linguístico e cognitivo (New, 1999;

Schonkoff e Phillips, 2000). Muitas pesquisas evidenciam o poder das interações e ações precoces na formação de atitudes, predisposições e aprendizagens das crianças. Estas pesquisas enfatizam ainda o reconhecimento da atividade lúdica como a forma privilegiada de intervenção pedagógica nesta faixa etária (Bruce, 2001; Moyles, 2006; Bruner, 1980, 1983; Oliveira-Formosinho, 2011; Goldschmied e Jackson, 1997; Post e Hohmann, 2003; Kalliala, 2006; Kishimoto, 2003, 2007; Laevers, 2000, 2005, entre outros investigadores). Oliveira-Formosinho (2011, 2012) torna claro os benefícios educacionais associados à prática educativa de qualidade e os efeitos negativos ou neutros para as aprendizagens das crianças quando as características dos contextos não se enquadram em determinados critérios de qualidade. A presente investigação, de cariz descritivo e interpretativo, situa-se na criação de ambientes educativos favoráveis à exploração e desenvolvimento de aprendizagens significativas por parte das crianças. A reconstrução da pedagogia em creche com relevância para a atividade lúdica é uma forma poderosa de intervenção pedagógica que esta investigação visibiliza. Apresenta-se um estudo de caso situado no âmbito de uma perspetiva socioconstrutivista que utiliza a formação em contexto (Oliveira-Formosinho e Formosinho, 2001) suportada na investigação-ação como estratégia para garantir a produção de novos conhecimentos, bem como a (trans)formação contínua das pessoas implicadas e das situações educativas. O estudo desenvolve-se num centro comunitário, em patamares progressivos de intervenção cooperada e colaborativa (Oliveira-Formosinho e Azevedo, 2001: 115). A análise e interpretação dos dados permitem realçar a multiplicidade de fatores que se foram entrecruzando e reconceptualizando ao longo de todo o complexo processo transformativo sustentado no pensamento partilhado e na procura da ação coerente. A intervenção praxiológica e construção de conhecimento nos processos de mudança sublinhou a importância de vários fatores: uma conceção alargada de ambiente educativo entendendo-o como aliado no processo transformativo; a criação de um tempo rico de experiencias e oportunidades educativas; a importância da procura de coerência entre discursos e práticas; o resgate da imagem da criança como ser com competência e atividade; o lúdico como cerne da pedagogia em creche; a liderança organizacional como andaime para a reconstrução da identidade profissional; e a peregrinação profissional em companhia como andaime para a reconstrução do trabalho pedagógico. Esta pesquisa, situada no quadro teórico desenvolvido pela Associação Criança (que integra a formação, a intervenção e a pesquisa através de processos de formação em contexto), acrescentou evidências teóricas e empíricas sobre a lentidão dos processos transformativos que, contudo, originam a criação de ambientes educativos respeitadores da identidade das crianças e dos profissionais e promotores de aprendizagem de uns e de outros. Ao longo do processo tornaram-se evidentes os múltiplos e interativos fatores que contribuem para a sustentabilidade dos processos transformativos.

Anúncios